Existe vida antes e depois do glúten! Corte o glúten da sua vida!

 

Professor Mario Jorge correndo no Rio triathlon antes do hipotireoidismo

Professor Mario Jorge correndo no Rio triathlon antes do hipotireoidismoO glúten me trouxe muitos problemas, e desejo profundamente que você reflita se vale a pena cortar ou não após esse relato do que aconteceu comigo.Ser um corredor, nadador, corredor e atleta com intolerância ao glúten torna a alimentação saudável e adequada um pouco mais demorada do que aqueles que comem alimentos com glúten e trigo.

Minha principal preocupação é garantir que meu corpo esteja recebendo e absorvendo todos os nutrientes adequados para sustentar meu treinamento e ajudar meu corpo a se recuperar dos exercícios e da rotina de trabalho e tudo o mais.

Em 2014 quando tirei o glúten da minha dieta pela primeira vez, foi por orientação da nutricionista, já tinha baixado meu peso, estava bem treinado, mas ainda podia melhorar, afinal de contas, estava me preparando para o meu primeiro ironman. Nesse momento eu não sabia o que era glúten e nem em quais alimentos tinha ou não essa praga! Ah! Eu também ainda não sabia que tinha intolerância ao glúten!

Prof. Mario Jorge depois do Hipotireoidismo dezembro em 2017

Prof. Mario Jorge depois do Hipotireoidismo dezembro em 2017, com 16 kg a mais

Mas fiquei espantado com o resultado, em 7 dias de dieta zero glúten meu wetsuit (traje de natação de neoprene)  novinho que ficava super apertado, ficou frouxo! Pasmem reduzi quase 3Kg, essa dieta fo por 21 dias sob orientação da nutri e senti muitos benefícios.

Em 2017 eu inflei 16kg “de uma hora para outra” e perdi todas as minhas roupas, sempre vesti 40, saltei para 46, perdi o ânimo de treinar, trabalhar, e tudo o que amo fazer, e quando fazia, demorava dia para o meu corpo se recuperar, meus músculos e articulações estavam rígidos, sentia dores musculares como se tivesse feito uma maratona e um cansaço enorme.

Achei que estivesse cansado de tanto ver natação, corrida e ciclismo e por isso ficasse desanimado, então pensei: “Vou procurar algo que eu não entenda nada e não possa nem mesmo avaliar se o treinador está fazendo certo ou errado, além de ser liderado e só ir treinar sem me preocupar com planejamento!”

Pensei por alguns dias e resolvi fazer jiu-jitsu, experimentei e adorei, me matriculei e no segundo ou terceiro treino eu apaguei aquecendo!

Fiquei preocupado e no dia seguinte procurei uma cardiologista que durante a consulta me passou exames cardiológicos, mas acreditava que meu problema era a tireóide.

Passou um exame de TSH e o máximo deveria ser de 4,5 μUI/mL o meu deu 12 μUI/mL, ou seja, 300%.

Conversando com um amigo sobre isso, ele me indicou uma endócrino que já passou uma bateria de exames de sangue, e comecei o tratamento de reposição hormonal, uau que diferença já nos 4 primeiros dias!

Depois que comecei a me tratar descobri que estava numa depressão orgânica, meu corpo estava gritando por socorro. No primeiro exame a endócrino informou que a minha CPK estava altíssima e que, ou eu estava realizando  exercícios extenuantes ou realmente a tireóide estava ruim. E que a sensação minha é de como eu estivesse realizando uma maratona por dia, bingo!

Já em 2018 em abril resolvi cortar açúcar, café e glúten, açúcar e café porque estava me sentindo muito acelerado, mais do que já sou, e glúten para ajudar a baixar meu peso, pois ainda estava com 16kg acima e me lembrei que em 2014 quando tirei o glúten sequei.

Tirei e realmente meu peso despencou, mas depois retornei ao consumo de alimentos com glúten

Até que em 2021 por conta da vacina, num resultado dos exames logo após a 1ª dose da vacina do covid a endócrino  verificou alguns marcadores que a deixaram preocupada, refiz os exames 5 semanas após a dose da vacina e quase tudo sumiu, menos os marcadores no fígado.

Pois bem, fui para hepatologista que passou alguns exames e descobriu que eu estava com esteatose hepática:

“Os principais fatores de risco incluem a obesidade e o diabetes tipo 2, embora também esteja associada ao consumo excessivo de álcool.
Geralmente, não causa sintomas. Quando ocorrem, os sintomas incluem fadiga, perda de peso e dor abdominal.
O tratamento envolve a redução dos fatores de risco, como a obesidade, por meio de um programa de dieta e exercício. Em geral, é uma doença benigna, mas, em uma minoria de pacientes, pode evoluir para insuficiência hepática (cirrose).”

Pois é, doença de pinguço e de glutão, não sou nem um nem outro, mas lembra do glúten? Esse safado é o responsável por tudo  isso que já falei acima!

Depois da hepatologista voltei a endócrino e ao invés de me entupir de medicamentos, pedi 4 meses para treinar sério e mudar alimentação, se bem que não tinha muito o que mudar, me alimento bem, com frutas, legumes, verduras, bastante água e não consumo muitas frituras.

A endócrino me deu esse prazo e inclusive decidi procurar um  nutricionista, na primeira consulta depois de anamnese e de conversarmos, ele orientou a já retiramos o glúten, topei e aí tudo mudou.

Isso foi em agosto de 2021. estou escrevendo esse post 26/07/2022 às 01:09 e muito feliz porque de agosto até dezembro 2021 meus indicadores mudaram pra melhor, baixei muito peso, 10kg, voltei a treinar com uma recuperação absurdamente rápida,  aí em janeiro 2022 tive covid, dei uma parada, depois pra voltar aos treinos demorei um pouco, e em maio de 2022 retomei, agora peguei os resultados e estão um espetáculo!

Mudei apenas o glúten, eliminei da minha vida! Exercícios eu já fazia, voltei a ganhar massa muscular, e recuperar super bem.
E nesse processo todo fui descobrindo algumas coisas, uma delas que é o glúten inflama o intestino, com isso absorvemos menos nutrientes, o glúten é extremamente maléfico às doenças autoimunes, o glúten é um dos responsáveis para gerar a gordura no fígado (esteatose hepática) e tantas outras coisas.

As 10 pricipais são doenças autoimunes são:

Artrite reumatoide, Diabetes tipo 1,Doença celíaca, Esclerodermia, Esclerose múltipla, Lúpus, Psoríase, Tireoidite de Hashimoto, Vitiligo.

RETIRAR O GLÚTEN É MUITO DIFÍCIL, SERÁ?

Depois que aprendi a me alimentar adequadamente, consegui me manter saudável e encontrei alguns alimentos básicos nos quais confio para a ingestão de carboidratos.

Mas desde 2018 já estávamos retirando o glúten em casa pois descobrimos que a Manu, nossa filha é celíaca e a coisa é séria com ela, e foi preciso trocar panelas, fogão, talheres e pratos. Assim reduzimos o risco de contaminação em casa, mas quando estava na rua comia uma pizza, um pão na chapa, coisas normais até então.

Com um pouco de trabalho e buscando cada vez mais informação, colocamos na balança o trabalho de se alimentar da forma correta x colocar em risco a sua saúde no futuro, afinal de contas, somos o que comemos, bebemos, respiramos…

CORTAR O GLÚTEN DA SUA DIETA AJUDA A CORRER, NADAR, PEDALAR?

Uma pergunta que recebo com muita frequência quando as pessoas descobrem que tenho alergia ao glúten é: “Você ficou mais rápido quando tirou o glúten?” Parece que todo mundo quer o pílula mágico para conseguir uma performance melhor e muitas acreditam que isso é encontrado apenas no alimento que estão consumindo.

Para alguns, cortar o glúten realmente pode dar-lhes um grande implemento na performance, porque ajuda a perder alguns peso de gordura ou talvez apenas sejam intolerantes a ele e seu corpo que antes estava contaminado, volte a funcionar melhor depois que começou a ser limpo do glúten.

Se vai comer glúten, é melhor comer grãos integrais, opções de trigo integral, que são bem diferentes das farinhas brancas que oferecem pouco nutriente ou benefícios calóricos e deixam você com fome novamente em pouquíssimo tempo.}

Algumas pessoas que não são intolerantes ao glúten ainda acham que se sentem melhor quando removem o trigo e o glúten de suas dietas. Creio que grande parte disso se deve à redução de alimentos processados, que por sua vez são alimentos mais pobres que os naturais/orgânicos e acabam estragando nosso corpo e como consequência nos deixando mais lentos e lerdos.

Agora respondendo, sim, fiquei mais rápido, e mais inteligente, isso mesmo. Mas apenas porque consegui me recuperar bem dos treinos quando parei de comer glúten. Meu corpo estava inflamado de forma crônica e ficva lutando para recuperar, não há energia que dure nessa luta constante.

E quando falei que fiquei mais inteligente, foi exatamente isso, conforme o  tempo foi passando fui percebendo uma clareza mental maior, uma capacidade de raciocíno aumentar, então fui pesquisar e descobri estudos que mostram os prejuízos neurológicos causados pelo glúten, e mesmo que não existissem estudos, é só pensar um pouquinho…

INTELIGÊNCIA E INTESTINO

A principal função do intestino consiste na digestão de alimentos e absorção de nutrientes e água, para manter o corpo nutrido, hidratado e funcionando corretamente.

Além disso, o intestino também permite a eliminação de toxinas e outros produtos que não podem ser absorvidos pelo corpo, que acabam sendo eliminados sob a forma de fezes.

No entanto, nos últimos anos, vários estudos apontam o intestino como um importante órgão endócrino que ajuda na produção de hormônios e neurotransmissores que influenciam o funcionamento de todo o corpo, assim como a saúde mental.

Por que o intestino é considerado o segundo cérebro?

O intestino é considerado o segundo cérebro porque é capaz de funcionar independentemente das “ordens” do cérebro, pois possui o seu próprio sistema nervoso, o sistema nervoso entérico, que é responsável por coordenar todos os processos digestivos. Além disso, o intestino é composto por diversos neurônios e neurotransmissores, que também fazem com que a digestão aconteça normalmente.

Dentre os neurotransmissores que são produzidos no intestino está a serotonina, que está relacionada com a sensação de bem-estar e, por isso, é importante manter o bom funcionamento do intestino para garantir a produção de serotonina.

Se o intestino estava inflamado, automaticamente  o cérebro e a mente estavam “bugando”

Nutrir bem seu corpo é um das principais chaves para ver a melhora a cada treino.

Para mim, não conseguir me recuperar prejudicou meu progresso por anos, mas quando descobri que era intolerante ao glúten e o retirei da minha dieta, nem titubeei, me senti melhor e consegui realizar semanas e meses de treinamento seguidos bem.

Quando realizamos semanas e meses seguidos de treinos, o corpo se adapta aos estímulos e as respostas fisiológicas dadas por ele são inacreditáveis, somos capazes de obter ganhos de condicionamento físico enormes.

Mas como saber? Sempre ouça seu corpo

Se você sentir que seu corpo não está digerindo bem o glúten, tente retirá-lo por algumas semanas ou  meses e veja se o problema melhora.

Eu encorajo você a fazer o que funciona melhor para você e não seguir uma modinha, mas que o glúten é maléfico, isso ele é!
Como atletas, precisamos de uma quantidade diária de calorias, portanto, se você remover o glúten de sua dieta,  é simples trocar essas calorias fornecidas pelos alimentos com glúten por outros mais saudáveis.
Faça um teste! O pior que pode acontecer é você emagrecer, dormir melhor, seus índices nos exames de sangue melhorarem, e sua recuperação pós treinos se tornar acelerada.
Ah! Até cerveja hoje existe sem glúten, se essa era a sua desculpa para não tentar!

Depois conta como foi! E se for útil, compartilhe esse post!

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.